Há riscos de investir em Mogno Africano?

helix-risco-mogno (1)

O plantio de florestas de Mogno Africano tem atraído cada vez mais o olhar dos investidores que desejam diversificar sua fonte de renda. Porém, há ainda muitas dúvidas sobre os riscos da implantação dessa floresta nobre, como, por exemplo, qual o principal cuidado durante o plantio, quanto de madeira é produzido e se o retorno financeiro de venda da madeira no mercado internacional é garantido. Além disso, há o questionamento: será que o plantio em larga escala irá inflar o mercado internacional?

Qual o principal cuidado durante o plantio de Mogno Africano?

O maior risco para implantação de florestas de Mogno Africano é a formiga e a mato competição, que danificam a parte interna da madeira causando nódulos e até mesmo erosão da madeira prejudicando diretamente a qualidade do produto final. Mas, é possível prevenir a proliferação da formiga e do mato por meio da manutenção e controle por meio de iscas e herbicidas.

O Mogno Africano não possui a autocombustão ao ser comparado com florestas de eucalipto e do pinus. Ou seja, não é considerado risco de incêndio florestal sendo um investimento mais seguro do que outra cultura.

Quanto de madeira é produzido?

Segundo dados do Sistema Nacional de Informações de Florestas (SNIF), em 2016 foram extraídos aproximadamente 11,5 milhões de metros cúbicos (m³) de madeiras de florestas naturais e 134 milhões de m³ de madeira de florestas plantadas sendo destinado cerca de 145,5 milhões para a indústria. Ou seja, só em 2016 foram produzidas mais de 145 milhões de m³ de madeira para indústria.

De acordo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a área ocupada pela silvicultura em 2016 foi de 10,0 milhões hectares, equivalente ao aumento de 0,9% em relação a 2015.

É garantido o retorno financeiro para mercado internacional?

O mercado madeireiro internacional pratica o valor da madeira com base no dólar ou do euro, que são moedas mais estáveis ao ser comparada com o real. Dessa forma, a inflação da moeda brasileira não afeta o preço da madeira, já que são lastreadas em moeda internacional e não no real.

 

Será que o plantio em larga escala irá inflar o mercado internacional?

Hoje o Brasil possui cerca de 30.000 hectares de florestas de Mogno Africano plantadas com idades que variam entre 0 e 20 anos segundo a Associação Brasileiro de Produtores de Mogno Africano (ABPMA). Em 20 anos, esses 30.000 hectares produzirão 11.250.000 m³ de madeiras que correspondem a 7,75% da produção anual de m³ de madeira no Brasil, considerando que para a florestas plantadas a estimativa de produtividade é de 375 m³ de madeira por hectare.

Mantendo-se o ritmo de produção de madeira de Mogno Africano atual (720 hectares/ano) espera-se que ao longo dos anos a produção de madeira de mogno no Brasil seja em torno de 216 mil m³ de madeira por ano, que representa 0,18% da produção 2016, ou seja ainda abaixo da capacidade de fornecimento, portanto não há risco de desvalorização, pois a capacidade produtiva instalada é baixa, diante a demanda de mercado.

Baixe a Planilha de Investimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *